Um bom emprego, uma boa entrevista

Autor: Darci Garçon
Fale com o autor
www.incorporese.com.br

Quem procura emprego tem, entre vários, dois desafios fundamentais. O primeiro deles é abrir as portas para uma entrevista. E o segundo, é a própria entrevista, que define a entrada ou a saída de um processo de seleção, em qualquer empresa.

Inicialmente, a pessoa nessa condição, precisa saber que a primeira impressão é a que fica. O impacto inicial que o entrevistador tem do candidato a um emprego é definitivo e, desde que entra na sala, ele estará atento á sua postura, às suas atitudes e na sua aparência.

Pela ordem, o primeiro impacto que você deverá deixar é que é uma pessoa comedida e ponderada. Não agressiva ou ansiosa demais. Esses traços, ele os percebe pela forma como você o cumprimenta, como lhe dirige a palavra, como senta. Então, ao chegar para uma entrevista, você deverá estar calmo, esperando que o entrevistador diga o que você deve fazer. Siga as orientações dele, sem se atrapalhar. Dê tempo para que ele fale primeiro e faça as perguntas.

Deixar que o entrevistador faça as perguntas é a chave da questão. Muitas pessoas vêem à entrevista e na primeira pergunta disparam longo discurso sobre sua a carreira e sobre tudo o que fez na vida. Esse é um caminho inadequado e imprudente.

Inadequado, porque o entrevistador tem curiosidades e, antes de mais nada, é preciso que você as satisfaça. Por outro lado, as perguntas do entrevistador não são aleatórias. Elas têm ligação com o trabalho e poderão sinalizar quais as dificuldades ou problemas que a empresa tem em relação ao cargo. Em última análise, por meio das perguntas que vierem a ser feitas o entrevistado poderá deduzir quais são os desafios ou os “pepinos” do cargo.

Imprudente porque poderá ser tomado como prolixo, além de correr o risco de dizer coisas que não tem nada a ver. É preciso mostrar objetividade, que significa responder as perguntas sem enfeitar, indo direto ao que interessa. E sem usar palavras cujos significado você desconhece. As perguntas devem ser respondidas corretamente e com clareza e, para isso, é preciso entendê-las bem. Não se iniba em informar que não entendeu a pergunta.

Assim como pontualidade, a aparência também é importante. Ao comparecer a uma entrevista, o seu aspecto deverá ser a de quem acabou de tomar banho e ter colocado roupa limpa há pouco. Os homens com a barba cortada. Dependendo do cargo, paletó e gravata são necessários. As mulheres, sem perfume ou com perfume muito discreto, roupas de cores neutras e não muito ousadas. Jamais ir à entrevista usando jeans surrados, tênis, boné, tatuagem visível, piercing e outros enfeites desnecessários.

O recato e a discrição são também importantes porque ajudarão a modelar a imagem da pessoa aos olhos do entrevistador. Ir para uma entrevista muito falante, expansivo demais, usando de intimidade com o entrevistador, pega mal. Você será considerado um chato, um inoportuno que, em situação de trabalho, irá conturbar o ambiente. Portanto, não tem lugar para você nessa empresa.

Afinal, o que o entrevistador procurará avaliar? Em primeiro lugar, a sua competência técnica, conversando sobre o seu trabalho e suas experiências nos empregos anteriores. Em segundo, ele, apenas observará e tirará conclusões sobre as seguintes características pessoais que você demonstrará durante a entrevista: ponderação, serenidade, energia, autoconfiança, entusiasmo, convicção, equilíbrio, segurança, confiabilidade, transparência.

Faça uma reflexão sobre cada uma dessas características pessoais ou peça a opinião de outras pessoas sobre como você é no que tanje a elas. Não custa nada. E mudar é fácil desde que você saiba que tem algo errado. Características pessoais podem ser o pêndulo entre conseguir ou não um emprego. Pesam mais do que conhecimento técnico.

O entrevistador, contudo, leva em conta mais detalhes. Por exemplo: estabilidade (se você tem muitas passagens rápidas pelos empregos anteriores; formação (se o curso que você fez é apropriado para aquele cargo); fluência em idioma (se o cargo exigir, logicamente); endereço (se é perto ou longe do local de trabalho); idade e estado civil.

Para fechar o assunto, duas sugestões para quem irá a uma entrevista. A primeira, busque informações sobre a empresa, principalmente se você não a conhece. É fácil achá-las por meio da internet. A segunda, esteja preparado para responder uma a pergunta que quase todos entrevistadores fazem: “- por que devo admitir você? A resposta a esta pergunta está diretamente ligada ao que você entendeu da empresa, do cargo e dos desafios que apresentam. Não é uma resposta fácil e, mesmo assim, você terá que mostrar articulação mental e verbal para respondê-la. Com algum, treino dá prá chegar lá.

Participar de um processo de seleção em uma empresa, pode ser comparado a uma corrida, na qual você gostaria de chegar na frente. Você concorrerá com outros e, na disputa, vencerá o que estiver melhor preparado. Na seleção de pessoal também é assim.

02/09/05

*Formado em Pedagogia pela USP, Darci Garçon é head hunter, sócio-diretor da TAG Consultores trabalha há 40 anos em Recursos Humanos.

Voltar

© IntelectoRH Todos os Direitos Reservados